Photo vs. Photoshop


Em Abril desse ano o fotógrafo alemão Peter Lindbergh iniciou uma campanha pelo fim da manipulação excessiva de fotos no photoshop. Desde então ele tem realizado  trabalhos com modelos e atrizes como Claudia Schieffer e Monica Belucci (que já  deixaram de ser meninas há algum tempo) produzindo editoriais sem nenhum tratamento no software que de uns tempos pra cá é considerado o “melhor amigo” das mulheres. Estes editoriais foram publicados em revistas como Harper`s Bazar e Elle e tiveram uma grande aceitação não só por parte dos editores como também das leitoras. Na época que li a respeito até postei um link no Facebook e ontem no Somainkinderland a minha amiga Paula Abbas trouxe o assunto novamente `a tona.

Sempre acreditei que o uso do photoshop deveria respeitar dois limites. O ético, não vendendo uma imagem de algo que não corresponde nem de longe `a realidade. E o estético, tendo a sensibilidade de perceber quando a busca pela perfeição acaba se tornando um imperfeição por si só. Todo mundo já viu casos assim, quando uma pessoa se torna tão obcecada pela própria imagem que acaba ficando deformada por tantas cirurgias plásticas, lipos, anabolizantes  e afins. Com o photoshop é exatamente a mesma coisa.

Porém, com a popularização da fotografia digital e suas ferramentas, estes dois limites ficaram pra trás há muito tempo. Houve uma perda do senso do ridículo. Navegando por sites de relacionamentos vemos aberrações tão photoshopadas que as únicas palavras que me vêem a cabeça são: vergonha alheia. Tanto pela fotografada que posta uma foto em que parece uma atração do Madame Tussauds, quanto pelo “profissional” responsável pela bizarrisse.

A verdade é que a tal democratização da fotografia gerou um monte de péssimos fotógrafos que pensam que alguns filtros do PS podem maquiar toda sua deficiência e com eles algumas pessoas dispostas a pagar o mico de se expor de uma forma tão irreal que só elas mesmas acreditam que estão enganando alguém. Enfim, se merecem.

É importante ressaltar que a escolha nem sempre é do fotógrafo. Agências, revistas e clientes diretos muitas vezes fazem questão que a foto seja manipulada e muitas vezes esse tratamento já está previsto inclusive em orçamento. Qualquer fotógrafo que diga que nunca fez estará mentindo. A questão é justamente promover esta mudança cultural. Fotos excessivamente tratada são feias e não enganam mais ninguém, mas enquanto as pessoas que compram fotos não entenderem isso de nada adianta os profissionais da área recusarem a fazer, afinal no fim do mês todos temos que pagar as contas, então o freguês acaba tendo razão.

Aos poucos isso vem mudando, com atitudes como a de Lindbergh ou o conceito Real Beauty lançado pela Dove com diversos vídeos virais mostrando o quão irreal é uma foto de campanha de cosméticos, ou da revista Trip que publica ensaios sensuais e sempre pedem para os fotógrafos fotos mais naturais e “cruas” possíveis.

Concluindo, é óbvio que se uma cliente ou uma modelo tem uma espinha, ou um roxo no corpo bem no dia das fotos isso deve e será corrigido na pós produção, mas daí a redesenhar as formas do corpo, refazer toda a pele ou trasformar uma pessoa de 50 anos em outra de 20 vai uma grande diferença. Se o objetivo é esse contrate um ilustrador, afinal a beleza de cada mulher está justamente nas suas imperfeições, deixo as perfeitas pras pessoas sem imaginação.

Anúncios

5 comentários sobre “Photo vs. Photoshop

  1. Peixotinho,

    voce tem toda razao meu amigo, grande texto. Aproveito o espaco para parabeniza-lo pelo seus posts. Estao muito legais.

    abraco,

    Ber !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s